Feira da Agricultura Familiar chega a sua 5º edição no sistema delivery

A Feira da Agricultura Familiar de Criciúma, em meio a pandemia de covid-19, aderiu ao sistema delivery, com os produtos sendo pedidos pelo site e entregues nas residências, tudo para ajudar os produtores no momento de crise e incentivar ainda mais a agricultura no município.

A nova experiência iniciou no dia 11 de abril, e, desde então, o sistema já está na 5ª edição, totalizando 140 pedidos em um mês. A média de encomendas semanal é de 35 consumidores, podendo somar em mais de R$ 1.400,00 por semana.

A iniciativa da feira presencial iniciou em 2018, através do Governo Municipal por meio da Gerência de Agricultura e Agronegócio, em parceria com a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri). Pelo projeto a feira acontecia toda segunda quinta-feira de cada mês, em frente ao Paço Municipal Marcos Rovaris.

Com a pandemia de convid-19, sete feirantes iniciaram o sistema de entrega para que os clientes pudessem continuar o consumo, e de forma segura. Atualmente, mais oito deles entraram, contando com 15 produtores ao todo atualmente.

O mix de produtos a serem escolhidos também cresceram, tendo as novidades de arroz, feijão, laranja, cuca, bananada, grão de bico, ora-pró-nobis (planta alimentícia não convencional) e produtos orgânicos como: banana, batata beterraba, e batata abóbora.

“Os consumidores se mostram cada vez mais satisfeitos, recebemos muitos feedbacks das pessoas elogiando a qualidade dos produtos e das embalagens, principalmente pelos recadinhos que nossos produtores escrevem nelas”, enfatiza a agrônoma da Gerência e Agricultura do município, Fabiane Barbosa Lopes.

A logística

Os pedidos podem ser feitos semanalmente através do site https://kyte.site/agricultura-familiar-2, de terça à partir das 7h, até quinta-feira, até às 21h. O valor mínimo de cada um deles é de R$ 40,00.

Após o encerramento, a Gerência de Agricultura e Agronegócio do município passa para os produtores, que usam as sextas-feiras para levar até a casa de um produtor em específico, para não haver aglomeração e manter a organização. Depois disso as encomendas são montadas e ficam prontas para a entrega.

 A entrega é feita por três produtores tendo no máximo duas pessoas em cada carro. “Estamos contentes que isso está se consolidando, inclusive estamos atraindo outros públicos também. Os produtores gostam de estar envolvidos nas entregas e se sentem motivados a continuar com o trabalho, é uma época difícil pela pandemia e a escassez de chuva”, completa a Gerente de Agricultura e Agronegócio, Maristela Oenning Borgert.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email