MEU NOVO EMPREGO: redes sociais podem ajudar na busca por emprego

As redes sociais estão presentes diariamente na vida dos brasileiros, isso não é nenhuma novidade. Elas já ultrapassaram a barreira do entretenimento e podem ser consideradas ferramentas para negócios, devido à popularidade desses meios de comunicação. 

No setor de Recurso Humanos, por exemplo, já se percebeu que as redes sociais podem ser aproveitadas de outras formas e não apenas como um meio de publicar opiniões e postagens de diversões.

No caso dos grupos de Facebook e WhatsApp, o Linkedin e até o Instagram, são abertos espaços para a divulgação de novas vagas, o que, muitas vezes é mais efetivo do que os métodos tradicionais, como entregar o currículo nas recepções das empresas.

Para o candidato não é diferente, pois ele já percebeu que este pode ser o caminho para o novo emprego, tanto para um cargo de iniciante como para operacional, corporativo ou de alta liderança, inclusive.

O LinkedIn ainda é a principal rede social para isso. No Brasil, a plataforma reúne mais de 45 milhões de profissionais cadastrados, o que faz dela um dos principais canais para o tão sonhado networking eficiente.

Para uma empresa atrair os melhores candidatos, é importante que ela divulgue rotinas e conquistas da organização, perfis de colaboradores e opinião dos diretores, isso facilitará a contratação de pessoas que realmente tenham o perfil e conheçam a empresa a ponto de vestirem a camisa.

Já para os candidatos, é importante manter-se atualizado, informado sobre o cargo e a empresa que pretendem integrar, se mostrar ativo, divulgar as conquistas e se aproximar das empresas “dos sonhos”.

Criar um perfil no LinkedIn é gratuito e rápido, apesar da ferramenta enviar diversos convites para que o candidato adquira uma conta Premium (paga), isso não é obrigatório e nem impede que o usuário tenha acesso as diversas possibilidades oferecidas por essa rede social.

Uma dica para se tornar ainda mais visível nas redes é preencher todas as etapas do perfil e produzir conteúdos como artigos e postagens diárias ou pelo menos semanais. É muito importante escrever de forma correta, pois muitas pessoas ainda observam isso, em caso de dúvida na hora da escrita de uma palavra, nada melhor do que colocar no Google e confirmar o jeito correto de escrever, antes de postar é claro!

A ideia principal é pensar que o LinkedIn deve ser uma vitrine para seu currículo, muito mais dinâmica e atrativa. Outros canais também têm investido no mesmo objetivo. 

A interação com outros usuários também faz diferença na hora de destacar seu perfil nesta rede, curtir e comentar as postagens das pessoas que você está conectado ou de quem você segue ajuda que mais pessoas vejam seu perfil. Siga as pessoas e empresas que se destacam nas áreas que você pretende atuar, que tenha maior afinidade ou interesse.

Como o LinkedIn é uma rede social voltada para o mercado de trabalho, não é recomendado postar sobre festas, baladas e passeios com a família. a melhor estratégia é postar sobre assuntos relacionados a sua área de atuação, formação ou interesse profissional. 

O Facebook, por exemplo, criou uma funcionalidade destinada a divulgação de empregos. A inscrição para as vagas é feita com poucos cliques e as empresas conseguem realizar avaliações e agendar entrevistas usando a própria rede. Além disso, com o uso dos grupos é possível se conectar com interesses em comum para também fazer o tal do networking.

Cabe ressaltar que é muito importante que o candidato tenha uma postura adequada em seu perfil no Facebook, afinal nem todo recrutador ou diretor de empresa teria interesse em contar com um profissional que posta excessivamente imagens em festas e ingerindo bebidas alcoólicas, diuturnamente. 

O perfil na rede social  é uma extensão de seu currículo, não é feio postar em um grupo de empregos um pedido de vaga, mas escrever de forma adequada ajuda bastante nesta busca por uma vaga. Pedir a um familiar ou amigo para conferir este texto antes de postar também é uma boa dica para ter mais sucesso na hora de procurar uma oportunidade de trabalho. 

Grupos de empregos no Facebook devem servir basicamente para esse intuito, então não é aconselhável postar sobre vendas de produtos diversos, doações de animais de estimação e divulgações em geral, pois desta forma o objetivo do grupo acaba sendo perdido. 

Muitas pessoas por desinformação ou má fé utilizam os grupos para postar vagas que não existem, pedem o contato pessoal dos candidatos ou solicitam que entrem em algum link e preencham um cadastro. É muito importante ter cuidado para não cair nestas armadilhas e principalmente que se denuncie estas praticas suspeitas, para que sejam banidas da rede. 

Já o Instagram, é capaz de divulgar as principais vagas de uma empresa para um número alto de pessoas. Com isso, é possível também interagir com contas da mesma segmentação, outra prática super válida, para quem busca uma recolocação, por exemplo.

Além disso, as marcas também podem divulgar a rotina dos colaboradores, o que faz que os candidatos consigam ver na íntegra o dia-a-dia da empresa e identificar se ele se encaixa nesta cultura.

Em síntese, as redes sociais se tornaram ferramentas que ampliam as oportunidades, uma vez que a maioria desses canais são gratuitos e qualquer pessoa com acesso à internet consegue participar, é como um encurtador de distâncias e um modelo mais econômico para ambas as partes.

Para as empresas a vantagem é atingir um número ilimitado de pessoas e atrair talentos de forma mais rápida e até, mais assertiva, rompendo as fronteiras geográficas, já que as conexões com potenciais colaboradores também foram facilitadas, otimizando o trabalho operacional de captação de candidatos.

No final das contas, as redes sociais são capazes até de quebrar o gelo de entrevistas, e os velhos paradigmas como daquele primeiro contato arcaico que era o de entregar currículo porta a porta.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email