Ligações de esgoto irregulares serão mapeadas no Rio Criciúma

As ligações de esgoto irregulares que chegam ao Rio Criciúma serão mapeadas pela Administração Municipal. De acordo com o gestor do Fundo de Saneamento Básico (Funsab) de Criciúma, Luiz Selva, o Poder Executivo iniciou os trâmites para contratar uma empresa especializada para diagnóstico por imagem com o objetivo de executar os serviços. A iniciativa visa eliminar efluentes e preservar as águas do Rio Criciúma.

A fiscalização no Rio Criciúma será realizada no percurso entre o edifício Millenium Saúde Center e a rua Araranguá, na esquina com a rua Vitório Serafim, na região central de Criciúma. “Serão inspecionados 1,7 quilômetro no Rio Criciúma e no Canal Auxiliar do Rio Criciúma.

Cada contribuição de esgoto será localizada e identificada com uma numeração que será apresentada em um cadastro final do trabalho realizado. Depois, os proprietários de imóveis com ligações irregulares serão notificados e vamos estabelecer um prazo para eles regularizarem as residências, ligando-as à rede coletora”, explica Selva.

A empresa responsável registrará as conexões de esgoto clandestinas por imagem e entregará, ao final dos trabalhos, à equipe da Prefeitura de Criciúma. “O Rio Criciúma tem chances de voltar a viver. Hoje, há um grande Canal Auxiliar, que melhora o escoamento das águas, e a rede de esgotamento sanitário já foi implantada. Manter as águas limpas depende de todos”, conta o prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro.

Diagnóstico socioambiental

O Rio Criciúma, que nasce nos bairros Cruzeiro do Sul e Mina Brasil e finaliza na confluência com o Rio Sangão, possui um diagnóstico socioambiental aprovado em dezembro de 2019, através da lei municipal n° 7.604. O diagnóstico segue um parecer técnico do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), analisou informações socioeconômicas, ambientais e jurídicas das margens do leito principal do Rio Criciúma e redefiniu a faixa de Áreas de Proteção Permanente (APPs) e a faixa de área sanitária do Rio Criciúma.

O Rio Criciúma também recebe projetos da Fundação do Meio Ambiente de Criciúma (Famcri) que visam despoluir as águas. Nas últimas semanas, moradores do bairro Santa Bárbara registraram a presença de peixes no curso de água.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email