Fórum Criciúma do Amanhã convida toda a comunidade para pensar o futuro da região

Um futuro melhor deve ter a sua construção no presente, e para pensar sobre os próximos dez anos da região Sul catarinense a comunidade precisa estar envolvida, esta é a proposta do Fórum Criciúma do Amanhã uma iniciativa da Unesc, em parceria com a Rádio Som Maior que ocorre nesta terça-feira, dia 24 de julho, das 7h30 às 12 horas no Auditório Ruy Hülse, na Universidade. O evento propõe uma reflexão sobre os problemas vivenciados e a definição de possíveis caminhos para um futuro de desenvolvimento social, econômico, cultural e ambiental.

No Fórum, professores, estudantes, empresários, profissionais, lideranças comunitárias e representantes de instituições públicas, privadas e do terceiro setor poderão dar ideias e contribuições para o desenvolvimento regional. O debate terá a participação do presidente do Observatório Social do Brasil, Ney Ribas, que vai abordar a “Ética nas Relações com o Poder Público”, e do presidente do Conselho de Desenvolvimento de Maringá, no Paraná, José Roberto Matos, que falará sobre a organização do conselho.

A reitora afirma que é preciso discutir questões que são fundamentais para os municípios do Sul do Estado. “O desenvolvimento socioeconômico da nossa região é imprescindível para a sustentabilidade de todos os segmentos, sobretudo da Universidade. Uma região que tem uma Educação forte por si já atrai novas possibilidades de desenvolvimento. Temos os modais logísticos muito bem estabelecidos que eram as bandeiras anteriores. E agora, para onde vamos? Dos lugares que ocupamos temos um olhar sobre quais bandeiras poderíamos ter, mas elas precisam ser coletivas, apropriadas pelos diferentes setores: produtivo, público, as instituições de ensino, para que juntos, em uma força coletiva, lutem pelas mesmas bandeiras para a região”.

Melissa ressalta que a Universidade é um ambiente que estimula a busca pelo conhecimento e o desenvolvimento do pensar e além de ser protagonista na busca de direcionamentos para a região, ela promove discussões a respeito e com isso, oferece a possibilidade da ampliação das visões sobre o desenvolvimento regional. “Nós já sabemos quais são nossos desafios, mas como fazer para chegar aos resultados necessário? Então, a metodologia que utilizaremos no Fórum é a de ouvir e conseguir condensar de forma concreta as proposições”.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email