Andressa busca ajuda para realizar uma cirurgia no quadril e voltar a ter uma vida normal

Andressa Raupp de Farias, 43 anos, do lar, sofre com dores desde que nasceu e precisa realizar uma cirurgia para tratar a luxação congênita bilateral, ainda na infância passou por três procedimentos cirúrgicos, sendo a última aos 7 anos, que possibilitaram uma vida normal: brincava, andava de bicicleta e trabalhava.

No entanto, ao longo dos anos a patologia foi se agravando novamente e desde o último ano o quadro piorou. Casada e mãe de três filhos, em fevereiro do ano passado, num determinado dia quando se vestia para ir ao trabalho ocorreu uma crise, que deixou Andressa imobilizada naquele momento. Neste dia foi necessário acionar o atendimento do Samu, que conduziu ela até o Pronto Atendimento do HSjosé. “Dali em diante as coisas começaram a piorar”, relata Andressa.

O diagnóstico do médico definiu que para o caso de Andressa somente com uma nova cirurgia ela teria condições de ter novamente uma vida normal. Além da enfermidade já conhecida, um quadro de artrose crônica também se manifestou. “A cartilagem dos ossos secaram todas, agora é osso com osso”, salienta Andressa.

A cirurgia é para a colocação de uma prótese lateral em ambos os quadris, o material desta prótese que é fornecido pelo SUS é para pessoas acima dos 60 anos, para o caso de Andressa não há fornecimento pelo governo, portanto somente por conta própria para arcar com os custos de aquisição das peças. 

O custo do procedimento cirúrgico e tratamento chegam a R$ 60 mil. Para buscar recursos e conseguir realizar a cirurgia a família e amigos de Andressa organizaram uma vaquinha virtual e quem puder ajudar basta acessar o link: www.vakinha.com.br/vaquinha/protese-de-quadril-bilateral e contribuir com qualquer valor. 

A cirurgia representa a esperança de retomar a vida normal, Andressa hoje convive com as dores e caminha apenas com ajuda de outras pessoas ou de uma bengala, além de não conseguir realizar tarefas simples sozinha, como vestir suas roupas, por exemplo ou se abaixar para pegar algo do chão. “Sinto dores constantes e de difícil controle diariamente e apenas com a cirurgia poderei voltar a ter uma vida normal”, frisa Andressa.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email