Operação Primavera da Defesa Civil da cidade aumenta em 40% as ações realizadas

A Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil (Compdec) de Criciúma realizou 130 ações na Operação Primavera, entre os dias 26 de outubro e 29 de novembro.

A iniciativa só encerra no fim do mês, mas já teve um aumento de 40% nas ações realizadas em comparação com o ano passado, que foram registrados 52 atos em toda a estação. A operação foi intensificada pelo decreto municipal nº 1163/20, de 21 setembro de 2020.

blank
blank

Entre as ações realizadas pela Defesa Civil, estão 67 fiscalizações do coronavírus, 24 vistorias em áreas de risco, 17 autorização de cortes de árvores, nove declarações de risco, seis termos de orientação, cinco cortes de árvores e dois eventos climáticos.

“Essas ações são muito importantes para o município, pois estão diretamente ligadas à mitigação, redução dos riscos e desastres que são causados por fenômenos naturais”, frisou o coordenador da Compdec de Criciúma, Dioni Borba.

Também teve ações em parceria com a Fundação do Meio Ambiente de Criciúma (Famcri), como as podas de árvores em situações que expõe riscos iminentes. Já com as Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc), foram ações para evitar riscos próximos da rede elétrica do município, além de vistorias técnicas de avaliação de risco em áreas comuns e particulares.

Nas últimas semanas, foi registrado temporal na cidade e o órgão municipal mapeou os pontos que precisam de intervenção, com a limpeza de córregos e de bocas de lobo, nos bairros Wosocris, Argentina, Próspera, Vida Nova, Quarta Linha, Sangão e Santa Bárbara.

“ A operação segue até o dia 31 de dezembro. Conforme dados históricos, é a época do ano que mais ocorrem desastres por fenômenos naturais, e a Defesa Civil intensifica seus trabalhos de prevenção e preparação da população”, ressaltou o coordenador.

Novo aplicativo

A Defesa Civil está na fase de testes com o aplicativo ‘Brasil Mais Seguro’, que disponibiliza rotas de fuga, informa todos os tipos de catástrofes e alerta população sobre áreas de alto risco. Por meio da plataforma, o órgão municipal conseguirá identificar, em tempo real, as ocorrências e denúncias que poderão ser feitas.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email