Pesquisa científica aponta que mais de 4,7 mil pessoas podem estar com coronavírus na cidade

Desde segunda-feira (20), para estimar a prevalência do novo coronavírus em Criciúma, a Administração Municipal aplica, de maneira aleatória, testes rápidos em homens e mulheres de diferentes faixas etárias e bairros do município.

Os primeiros resultados da pesquisa científica, realizada em parceria com a Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc), foram divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde nesta sexta-feira (24), em live transmitida via redes sociais. No total, de 500 testes realizados, a prefeitura diagnosticou 11 casos de Covid-19, sendo nove mulheres e dois homens.

Os testes rápidos foram aplicados em seis macrorregiões de Criciúma: Centro, Próspera, Pinheirinho, Quarta Linha, Rio Maina e Santa Luzia. “Seguimos um processo de análise rigoroso para elaborar a pesquisa. Identificamos que há casos positivos em todas as macrorregiões de Criciúma.

Os 11 casos positivados representam 2,2% do total de entrevistados, sendo que o 2,2% da amostra representa cerca de 4.735 casos de Covid-19 em Criciúma. Com a margem de erro, esse número pode ser algo entre 4.525 e 4.942 casos distribuídos pelos bairros da cidade”, afirma o matemático e doutor em Ciências da Saúde da Unesc, Kristian Madeira.

Conforme a pesquisa, das 11 pessoas diagnosticadas, apenas uma está curada, sendo que 50% eram assintomáticos e 50% eram sintomáticos. “Com esses números precisos, vamos aprofundar os estudos e buscar ferramentas para conter a transmissão do novo coronavírus em Criciúma.

Os resultados são preliminares e a pesquisa vai continuar na próxima semana, com mais coletas”, explica o secretário municipal de Saúde, Acélio Casagrande. Os testes são aplicados por profissionais da saúde de Criciúma e encaminhados ao Laboratório Municipal, onde os casos são confirmados ou descartados.

A pesquisa científica pretende verificar relações entre variáveis demográficas e positividade para a doença, analisar o perfil epidemiológico dos moradores estudados e identificar associação entre os testes aplicados e comorbidades e morbidades.

A iniciativa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Unesc, reconhecido pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep), ligada ao Conselho Nacional de Saúde (CNS), do Ministério da Saúde.

“Compramos testes rápidos de excelente qualidade para identificar casos de Covid-19 e planejar medidas para combater a transmissão da doença. Com a parceria da Unesc, que desenvolveu os estudos, vamos fortalecer as ações”, conta o prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro. “A pesquisa é científica e os primeiros resultados demonstraram que, possivelmente, há 4.735 pessoas com o vírus ativo e 473 pessoas já curadas. Entre a população criciumense, 97,8% ainda não tiveram o contato com o vírus. Isso demonstra que precisamos manter os cuidados e, claro, retornar às atividades do dia a dia”, complementa.

Confira os primeiros números da pesquisa científica:

Testes rápidos aplicados: 500
Pessoas diagnosticadas com Covid-19: 11

Mulheres diagnosticadas com Covid-19: 9 (53%)
Homens diagnosticados com Covid-19: 2 (47%)

Casos de Covid-19 por macrorregiões:

Centro: 3
Santa Luzia: 3
Próspera: 2
Pinheirinho: 1
Quarta Linha: 1
Rio Maina: 1

Casos de Covid-19 por faixas etárias:

0 a 4 anos: 0
5 a 9 anos: 1
10 a 14 anos: 1
15 a 24 anos: 1
25 a 34 anos: 4
35 a 44 anos: 1
45 a 59 anos: 0
60 ou mais: 3

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email