Meningite é tema de capacitação para gestores escolares de Criciúma

Com a proximidade do inverno e as temperaturas mais baixas, uma das doenças que volta a despertar a atenção dos profissionais de saúde é a meningite. A estação mais fria do ano é propícia, entretanto, para a propagação da forma mais perigosa da doença: a meningite bacteriana.

Para prevenir a incidência em uma das principais vítimas, as crianças, a Secretaria de Educação, em parceria com a Secretaria de Saúde, promoveu uma capacitação para gestores escolares do município na tarde desta segunda-feira (8).

O encontro foi realizado no Salão Ouro Negro na Prefeitura de Criciúma, com a participação de aproximadamente 100 profissionais da educação. A enfermeira do setor de agravo da Vigilância Epidemiológica, Michele Hilário, e a fiscal da Vigilância Sanitária, Wanessa Ronchi, repassaram orientações sobre prevenção e identificação da doença.

De acordo com a enfermeira Michele, o município não tem registro de casos suspeitos de meningite bacteriana, mas é sempre importante preparar os profissionais. “Muitas vezes a criança começa a se sentir mal ainda na escola. Se os professores e diretores estiverem atentos, é possível agir em conjunto com a Vigilância, já encaminhando para um hospital”, alerta a enfermeira.

Outro esclarecimento é a respeito de uma dúvida frequente. “Muitos pensam que a escola precisa ser fechada, mas não necessariamente. Nós não tomamos nenhuma decisão sem seguir os passos estabelecidos pelo protocolo da Vigilância Epidemiológica. Quanto à higienização, esse é procedimento que deve ser realizado rotineiramente e não apenas quando surge um caso suspeito”, informa a fiscal Wanessa.

Aparelhos de ar-condicionado

Recentemente a Secretaria de Educação iniciou a instalação de 425 aparelhos de ar condicionado, fazendo com que todos os 800 ambientes escolares do município estejam climatizados até o fim do ano. Para orientar sobre o correto uso dos ares-condicionados, o médico da Secretaria de Saúde, pneumologista Fábio Souza, irá promover uma capacitação sobre como utilizar os novos aparelhos dentro da sala de aula, para promover um ambiente adequado e saudável.

“Com a mudança de estação precisamos estar atentos à temperatura ideal, para que os aparelhos acrescentem na qualidade da vida escolar dos nossos a alunos sem prejudicar a saúde. Nossa intenção é orientar professores e gestores para o melhor uso possível desse bem”, informou Silvana Alves, coordenadora geral pedagógica da Secretaria de Educação.

Sintomas da meningite bacteriana:

Os sintomas mais comuns da meningite bacteriana são: febre alta com início súbito, dor de cabeça forte, rigidez na nuca, vômitos em jato, manchas avermelhadas (petéqueas) e, em crianças menores de um ano, choro e irritação. Caso a pessoa apresente algum desses sintomas, a orientação é buscar atendimento médico em um hospital.

Higienização e prevenção:

Para evitar a doença, a orientação é higienizar as mãos, de preferência com um antisséptico, evitar que a criança compartilhe objetos como copos, talheres, pratos, bicos e mamadeiras, e cuidar da ventilação do ambiente, mantendo-o bem arejado sempre que possível.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email