Focos do mosquito da dengue são encontrados na cidade e confira dicas para prevenir

A Vigilância Epidemiológica de Criciúma, por meio do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), localizou seis novos focos do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, zika virus e chikungunya durante o mês de março. Desta vez as larvas foram encontradas em armadilhas nos bairros Quarta Linha, Verdinho e Vila Francesa.

“Essa quantidade nos preocupa e acende mais uma vez o alerta para que a população reforce os cuidados para evitar água parada. Todos os recipientes que possam acumular água devem ser armazenados de forma adequada ou devidamente descartados”, explicou a coordenadora do CCZ, Simone Cristina da Cruz.

blank

Vistorias na região

A coordenadora explica ainda que os agentes de combate às endemias já fizeram as vistorias nas residências próximas aos focos localizados e, seguindo o protocolo, estas regiões serão novamente vistoriadas no mês de maio. Ela também acrescenta que “toda a equipe está identificada com crachá, colete e veículos oficiais”.

“A gente gostaria de reforçar o pedido para população atender nossos agentes para que eles possam fazer a vistoria do ambiente e passar orientações”, ressaltou Simone, acrescentando que “todos os agentes trabalham com os equipamentos de proteção individual recomendados contra a disseminação do coronavirus”.

Orientações da Vigilância Epidemiológica

Potes de água dos animais de estimação:
 uma vez por semana escovar as bordas, mesmo que a água seja trocada todos os dias.

Piscinas: devem ser tratadas com cloro, se possível com filtro. Deixar tampada caso não esteja em uso.

Calhas: sempre verificar se estão obstruídas, limpar com maior frequência.

Materiais de construção e pneus: armazenar em locais cobertos e não deixar água a acumular no interior dos objetos.

Garrafas: sempre viradas para baixo.

Caixa d’água: nunca deixar destampada.

Vasos de plantas: o ideal é não utilizar o pratinho, mas se utilizar encher até a borda com areia.

Bromélia: uma vez por semana dar um jato forte de água em cima da planta se for plantada no chão. Se for em vasinho, retirar a água parada.

Folhas de coqueiros e de bananeiras com formato côncavo: uma vez por semana retirar do terreno, podendo queimar ou quebrar e descartar no lixo, dentro de uma sacola fechada.

Lixo: utilizar sacos plásticos bem resistentes e colocar em uma lixeira sempre próximo do horário da coleta.

Seja um Leitor Parceiro!

Em uma época em que a facilidade ao acesso de informação acaba multiplicando a desinformação, e para piorar em meio a uma pandemia, o site Bairros Criciúma reforça o compromisso com o jornalismo sério, profissional e de qualidade. Nossa equipe se dedica diariamente na difusão de informação responsável e que você pode confiar.

Para que possamos melhorar cada vez mais e juntos possamos ter um jornalismo sério e o compromisso com a informação de qualidade, contamos também com a contribuição espontânea de nossos leitores!
Para contribuir basta fazer um Pix de qualquer valor para a chave: [email protected]

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email