Bombeiros Militares de Criciúma retornam de missão de combate às queimadas no Pantanal

Temperaturas de 47ºC. Consumo de até dez litros de água por dia. Este foi o cenário que os quatro Bombeiros Militares do 4º Batalhão de Bombeiros Militar encontraram no Pantanal Mato-Grossense. Após 20 dias, entre deslocamento e atuação, eles chegaram na última quarta-feira.
 
 
Foram empregados nesta operação o 3º sargento BM Guilherme Lopes Spillere, cabo BM Maurício José Pereira, cabo BM Henrique Duarte, soldado BM Eduardo Luiz Martins integrantes da Força-Tarefa 04.

Os militares chegaram em Corumbá (MS) no dia 5 de outubro e no dia seguinte foram integrados na operação. “Nossa primeira atuação foi na Serra do Amolar, onde fomos deslocados por helicóptero, com a missão de proteger o Instituto Homem Pantaneiro”, ressaltou o cabo BM Maurício José Pereira. “No local, até a gente se adaptar com a vegetação, sofremos bastante com as altas temperaturas, com água quente, que nós podíamos carregar, além de todo material de combate”, relembrou.

A segunda missão se concentrou em proteger áreas de preservação do Estado. “Trabalhamos protegendo 15 pontes, a Válvula do Gasoduto Bolívia e a área de Adestramento do Rabicho, sendo essa a maior área de adestramento da Marinha Brasileira no país”, contou o soldado Eduardo Martins.

Na última segunda-feira, dia 19 os militares iniciaram a desmobilização, com retorno a Santa Catarina. Vale ressaltar que a Força-Tarefa 04 foi a que mais empregou tempo de estrada para o deslocamento.
 
Para o comandante da Força-Tarefa 04, 2º tenente BM Rafael Melo Marques, a atuação dos quatro militares no pantanal contribuirá, de certa forma, a todos os integrantes. “Cada situação nova e complicada vivida por eles não servirá apenas como aprimoramento pessoal de cada um, mas garantirá um compartilhamento de experiências e o engrandecimento de toda a equipe”, enfatizou.
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email