Campanha pretende sensibilizar para adoção de crianças mais velhas

Crianças e adolescentes na faixa etária de 6 a 17 anos correspondem a 70% dos menores aptos para adoção nos abrigos do país. De acordo com o Sistema Nacional da Adoção, isso ocorre porque essa faixa não corresponde ao perfil mais desejado pelas pessoas habilitadas à adoção.blankblank

Segundo dados do CNJ, Conselho Nacional de Justiça, mais da metade dos pretendentes cadastrados buscam crianças de até três anos de idade. Entre os que aceitam crianças até 7 anos, esse percentual sobe para 90%.

De acordo com a coordenadora do Centro de Apoio Operacional de Crianças e Adolescentes da Bahia, a promotora Anna Karina Trennepohl, em todo o Brasil, há cerca de 4 mil crianças e adolescentes aptos à adoção e 33 mil pessoas na fila de adotantes.

Publicidade

Para estimular a adoção de crianças e adolescentes mais velhos, acontecem diferentes iniciativas em vários estados. Nesta semana, por exemplo, o Ministério Público e o Tribunal de Justiça baiano iniciaram a campanha “O amor não tem tamanho”. A ideia é sensibilizar para a importância de garantir o direito à convivência familiar e comunitária.

A promotora Anna Karina Trennepohl explica que, enquanto os jovens não forem adotados, eles podem aprender profissões para quando completarem 18 anos, ou ainda, serem temporariamente acolhidos por famílias voluntárias.

A campanha “O amor não tem tamanho” conta com divulgação de vídeos nas redes sociais e na TV, com esclarecimentos sobre o cadastro e a adoção, além de contatos com grupos de apoio para auxiliar a busca ativa de crianças. Mais informações no site: oamornaotemtamanho.mpba.mp.br

Publicidade
Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
Email