Polícia Militar realiza operação para as Eleições Municipais de 2020

A Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC) está preparada para atuar nas Eleições Municipais de 2020. Essa semana todo o efetivo estará já atuando dentro das determinações com a intenção de preservar a ordem pública para a segurança dos cidadãos e do processo eleitoral.

Este ano, as eleições acontecem nos dias 15 e 29 de novembro, respectivamente no primeiro e segundo turno (nesse caso, apenas nos municípios com mais de duzentos mil eleitores, se nenhum candidato a cargo majoritário alcançar maioria absoluta na primeira votação).

O Estado de Santa Catarina sempre apresentou processos eleitorais que podem ser classificados como bastante calmos, nunca ocorrendo, nos últimos pleitos registrados, fatos que trouxessem maiores preocupações. Mas para essa eleição, o comandante-geral da PMSC, coronel Dionei Tonet lembra que terá um fator excepcional aos outros anos.

“O atual cenário eleitoral é inédito em virtude da pandemia imposta pela pandemia da Covid-19 e as consequentes regras sanitárias que visam minimizar os impactos sociais, principalmente na Saúde, buscando reduzir a proliferação do vírus”, afirmou Tonet.

Integração 

Para esta operação, a PMSC está trabalhando em conjunto com o Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina (TRE-SC) e a Secretaria de Estado da Saúde (SES) buscando a celeridade e efetiva solução das demandas eleitorais perante a pandemia.

Pretende-se que seja dada especial atenção para a integração entre as instituições, aos esforços das ações de inteligência e adoção de medidas específicas para controle de riscos ao pleito eleitoral, bem como as ações sanitárias a fim de garantir regras que ordenam o processo.

Para a PMSC, os principais tipos de ocorrências detectadas nos últimos processos eleitorais foram o de desentendimento entre cabos eleitorais na disputa de espaços para propaganda; tumulto nas imediações dos locais de votação pela disputa de votos de eleitores indecisos, a chamada “boca de urna”; a denúncia de candidatos, cabos eleitorais ou adeptos, sobre tentativas de fraudes; derrame de material de propaganda no local de votação ou nas vias próximas, na véspera ou no dia da eleição; atrasos no recolhimento e transporte das mídias com os dados para os locais de apuração; propaganda não autorizada e possíveis brigas e desentendimentos pontuais.

“Vamos estar com o policiamento ostensivo nos locais de votação com maior concentração de eleitores. E estamos preparados para resolver de forma efetiva os problemas contra a ordem pública, sanitária e quanto às regras eleitorais relacionadas ao pleito”, completou o comandante-geral da PMSC, coronel Dionei Tonet.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email