Criciúma é o município com mais empregos gerados da região carbonífera em maio

Em maio, 278 novos postos de trabalho foram criados em Criciúma. O município teve a maior geração real de vagas na região carbonífera. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) divulgados na última quinta-feira, 29. No acumulado de 2023 são 1.453 novos postos.

Já entre as cidades de Santa Catarina com mais de 100 mil habitantes, Criciúma ficou em sétimo lugar na geração de empregos em maio. “Parte importante da geração de empregos é facilitar a abertura de negócios. Para se ter uma noção do quanto Criciúma é eficiente nisso, nosso município ficou, no primeiro quadrimestre deste ano, em quarto lugar entre as cidades mais rápidas do país para se abrir uma empresa”, afirma o prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro.

De acordo com o boletim do Mapa de Empresas, do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC), Criciúma teve, durante o período citado por Salvaro, um tempo de duas horas e 13 minutos para a abertura de novas empresas.

Publicidade

Cenário nacional

O Brasil registrou, no mês de maio, saldo positivo de 155.270 empregos com carteira assinada. O resultado se explica pela diferença entre os 2.000.202 de admissões e pouco mais de um 1.844.932 de desligamentos.blankblank

Nos primeiros cinco meses do ano foram criados 865 mil postos de trabalho, alcançando um estoque de mais de 43 milhões de empregos formais no país.

Apesar dos números positivos, o ministro do Trabalho e Emprego, Luiz Marinho, afirmou que o resultado ficou abaixo da expectativa, que era de 180 mil empregos, por causa da política de juros altos praticada pelo Banco Central.

Publicidade

Recorte setorial

No Brasil, o setor de serviços apresentou o maior crescimento, de 54% no mês com um saldo de 83 mil vagas, seguido da construção civil, com 27 mil.

Completam a lista, a agropecuária, com 19 mil novos postos, e comércio e indústria, com abertura de 15 mil vagas.

Recorte por gênero

Em um recorte nacional por gênero, o Caged do mês de maio revela que foram gerados 65 mil postos de trabalho para mulheres e quase 90 mil para homens.

 

 

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
Email