O time de futebol feminino da Fundação Municipal de Esportes (FME) / Criciúma E.C estreará no Campeonato Brasileiro A-2 no próximo domingo (16). A partida será contra a equipe do Red Bull Bragantino, e ocorrerá as 15h na cidade de Jarinu, em São Paulo. A divisão, que dá a oportunidade de acesso ao principal campeonato feminino nacional, teve sua tabela divulgada pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Preparação para os jogos

Segundo a técnica Bina Cassol, o grupo segue firme nos preparativos e atividades no Centro de Treinamento Antenor Angeloni. “Estamos treinando diariamente, buscando a evolução através do esforço. Nossa equipe principal conta com 26 atletas, supermotivadas por se tratar da segunda maior competição do futebol feminino do país”, apontou Bina.

Para o presidente da FME, Neto Uggioni, o papel da entidade de apoiar os atletas da cidade é fundamental para alcançar as vagas em torneios e, consequentemente, destaque regional. “Valorizando o esporte local e trabalhando juntamente do Criciúma E.C conseguimos inserir as atletas no futebol profissional, e elas vêm trabalhando há muito tempo para fazer uma boa campanha”, afirmou o presidente.

Modelo de disputa

A competição contará com 36 times, divididos em seis grupos nessa 1ª fase. As meninas carvoeiras iniciam a jornada no grupo D, ao lado de Red Bull Bragantino, Atlético Goianiense, Vila Nova, Fluminense e Sport. Além dos dois primeiros de cada grupo, avançam também para a 2ª fase os quatro melhores terceiros colocados.

Nos confrontos diretos das eliminatórias, que devem começar no dia 27/06, não haverá gol qualificado, ou seja, em caso de empate no placar agregado, a partida será decidida nos pênaltis. Os quatro semifinalistas garantem vagas na Série A1 de 2022.

Trabalhadores informais e inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) nascidos em agosto podem sacar, a partir de hoje (11) a primeira parcela do auxílio emergencial 2021. O dinheiro havia sido depositado nas contas poupança digitais da Caixa Econômica Federal em 22 de abril.blankblank

Os recursos também poderão ser transferidos para uma conta corrente, sem custos para o usuário. Até agora, o dinheiro podia ser movimentado apenas por meio do aplicativo Caixa Tem, que permite o pagamento de contas domésticas (água, luz, telefone e gás), de boletos, compras em lojas virtuais ou compras com o código QR (versão avançada do código de barras) em maquininhas de estabelecimentos parceiros.

Em caso de dúvidas, a central telefônica 111 da Caixa funciona de segunda a domingo, das 7h às 22h. Além disso, o beneficiário pode consultar o site auxilio.caixa.gov.br.

O auxílio emergencial foi criado em abril do ano passado pelo governo federal para atender pessoas vulneráveis afetadas pela pandemia de covid-19. Ele foi pago em cinco parcelas de R$ 600 ou R$ 1,2 mil para mães chefes de família monoparental e, depois, estendido até 31 de dezembro de 2020 em até quatro parcelas de R$ 300 ou R$ 600 cada.

Neste ano, a nova rodada de pagamentos, durante quatro meses, prevê parcelas de R$ 150 a R$ 375, dependendo do perfil: as famílias, em geral, recebem R$ 250; a família monoparental, chefiada por uma mulher, recebe R$ 375; e pessoas que moram sozinhas recebem R$ 150.

Regras

Pelas regras estabelecidas, o auxílio será pago às famílias com renda mensal total de até três salários mínimos, desde que a renda por pessoa seja inferior a meio salário mínimo. É necessário que o beneficiário já tenha sido considerado elegível até o mês de dezembro de 2020, pois não há nova fase de inscrições. Para quem recebe o Bolsa Família, continua valendo a regra do valor mais vantajoso, seja a parcela paga no programa social, seja a do auxílio emergencial.

A Agência Brasil elaborou um guia de perguntas e respostas sobre o auxílio emergencial. Entre as dúvidas que o beneficiário pode tirar estão os critérios para receber o benefício, a regularização do CPF e os critérios de desempate dentro da mesma família para ter acesso ao auxílio.

Fonte: Agência Brasil

A última etapa de revitalização da Rodovia Luiz Rosso segue cumprindo o cronograma definido pelo Governo de Criciúma e já está no último estágio, com a colocação da capa asfáltica e posterior implantação das novas sinalizações vertical e horizontal.

As equipes da Secretaria de Infraestrutura, Planejamento e Mobilidade Urbana, estão executando os trabalhos no bairro Quarta Linha e avançando em direção ao centro da cidade. A extensão da rodovia é de 12 quilômetros e todo o trecho está em obras.

“Todo o investimento está sendo feito com recursos próprios e por nossas equipes. Temos equipamentos de ponta e a obra terá ótima qualidade e dará uma nova cara para a entrada da cidade”, destacou o prefeito Clésio Salvaro, que visitou as obras acompanhado do secretário Tita Belloli.

blank

As obras de revitalização da rodovia Luiz Rosso iniciaram em fevereiro, logo após o Governo Municipal adquirir uma máquina fresadora mais moderna, o que agilizou os trabalhos de retirada do material deteriorado. Com produção própria de asfalto e custos mais baixos para a execução de obras, o mesmo serviço deve ser repetido em outras estradas municipais.

Atenção no trânsito

As obras de revitalização da rodovia estão sendo executadas sem a interrupção total do trânsito, que está sendo desviado conforme necessidade, com auxílio dos agentes da Diretoria de Trânsito e Transportes (DTT). “Pedimos o máximo de atenção na pista e nas placas colocadas com as indicações corretas de desvios. São transtornos passageiros”, explicou o gerente de Operações da DTT, Paulo Borges.