Os produtos da Feira da Agricultura Familiar continuam a ser vendidos virtualmente com o sistema de entrega delivery. O objetivo da Gerência de Agricultura e Agronegócio, em parceria com a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), é realizar o evento presencialmente no dia 11 de março, se a pandemia de coronavírus permitir.

Independente da realização ou não da feira presencial, as compras online podem ser feitas de segunda a quarta-feira, até às 21h, com valor mínimo de R$ 40. As entregas são realizadas nas quintas-feiras, das 16h às 20h. “Por enquanto estamos com a feira delivery e estudamos o retorno presencial e a manutenção dos dois formatos, mas isto depende do andamento da pandemia de coronavírus”, conta a engenheira agrônoma Fabiane Barbosa Lopes. Os pedidos podem ser feitos pelo site: http://kyte.site/agriculturafamiliarcriciuma, pelo número de WhatsApp (48) 9 9161-7416 e pelo Instagram da feira: @agricultura.familiar.criciuma.

Com a pandemia, a realização presencial da feira teve que parar. Porém com os pedidos online, foi possível continuar apoiando os agricultores da região. “As entregas dos produtos ainda estão ocorrendo. Isso acaba gerando oportunidades de venda e consumo com preço acessível e produtos de qualidade”, ressalta o gerente de Agricultura e Agronegócio, Vanderlei Zilli.

“Esta é uma feira que todo mundo perguntava quando iria voltar. Ela já é tradicional e queremos que ela aconteça, a não ser que a pandemia não nos deixe realizar”, afirma o gerente. A feira oferece uma variedade de embutidos, frutas, verduras, derivados do milho, pães e doces.

Reunião para alinhar pontos fundamentais para a volta presencial da feira

No primeiro dia de março, ocorrerá uma reunião para alinhar questões referentes a volta presencial da feira e medidas de combate à Covid-19. Os produtores rurais e os representantes da Gerência da Agricultura e Agronegócio estarão presentes para o debate.

Entre os dias 25 e 28 de fevereiro, ocorre o Sarau Cultural ‘O Jorge é Nosso’. O evento será transmitido direto da sede da Fundação Cultural de Criciúma (FCC), localizada no Centro Cultural Jorge Zanatta, e terá 19 apresentações em quatro dias de festival. O projeto é aprovado pela Lei Aldir Blanc e é um dos 84 contemplados do edital, na categoria de quatro pessoas no valor de R$ 22 mil.

As atrações serão divididas em quatro dias, iniciando às 18h30. Em cada dia, somente os artistas da data e a equipe técnica estarão presentes para respeitar o distanciamento social. Serão realizadas exposições, apresentações musicais, performances, oficinas e palestras. O sarau pode ser acompanhado no canal do festival no Youtubehttps://bit.ly/2Nuj9MY.

Estrutura do projeto

Em 2019, o evento ocorreu pela primeira vez. No início de 2020, as organizadoras começaram a formar um novo sarau com o intuito de realizá-lo todos os anos. Com a pandemia e o lançamento do edital da Lei Aldir Blanc, as organizadoras viram a oportunidade de reestruturar a iniciativa e colocá-la em prática neste ano.

“No ano passado não tivemos o evento, mas aproveitamos para montá-lo para 2021. A gente já tinha os artistas que iriam participar e o formato do projeto. Com isso, nosso objetivo foi mais estimulante, pois a gente sabia que teria um valor caso ganhássemos, um valor que pudéssemos financiar esses artistas para participar. Não é fácil viver de cultura e, principalmente, os artistas independentes que sofrem com isso ”, relata uma das desenvolvedoras do projeto e atriz, Ana Bertolina.

Após a contemplação do projeto, as organizadoras entraram em contato via e-mail com os artistas. Com isso foram selecionados os artistas que se mostraram interessados. Depois, foi feita a divisão dos valores para contemplar a todos. Além disso, a produção comprou obras de dez artistas, destinando R$ 100 para cada um como um valor simbólico. Essas obras serão sorteadas no sarau.

“Além de esse evento ser um festival artístico, ele também é um festival cultural porque nós vamos falar sobre a cultura do centro e a cultura de Criciúma. Mas, principalmente, da cultura independente, desses artistas que diariamente estão na labuta, vendendo suas artes e se apresentando em barzinhos”, declara a desenvolvedora do projeto.

Segundo o diretor de Turismo da FCC, Ismail Ahmad Ismail, o projeto é um potencial para o nicho da cidade. “O projeto é um entre muitos que estão pipocando na cidade. A iniciativa é uma prova de que o setor quando tem apoio, recursos, ele se desenvolve, gera conteúdo e inclusão social”, afirma.

Para facilitar e agilizar o serviço e também evitar aglomerações, a Ouvidoria da Secretaria de Saúde de Criciúma, passará a atender via telefone e canais online a partir do dia primeiro de março. Também a partir desta data os serviços presenciais feitos no Paço Municipal Marcos Rovaris, serão substituídos. Sugestões, reclamações, denúncias, elogios e informações, podem ser solicitadas das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira.

O número disponível para ligações é o (48) 3445-8715 e a quantidade de linhas telefônicas será ampliada para ter mais ramais à disposição dos usuários do sistema.

A orientação é que ao ligar, o cidadão esteja com o cartão do Sistema Único de Saúde (SUS) em mãos para protocolar o atendimento. Após estes procedimentos, a reclamação é direcionada ao gerente responsável da demanda solicitada, que providenciará as medidas cabíveis.

Além disso, também é possível solicitar os serviços no próprio site da Prefeitura Municipal, por meio do link https://protocolo.cloud.betha.com.br/#/cidadao/solicitacaoabertura/YZLEzSPDhKQ= ou pelo e-mail [email protected] “Nossa intenção é buscar aprimorar os serviços de forma contínua.

Esta iniciativa proporcionará comodidade a nossa população, pois as pessoas não precisarão mais se locomover para resolver suas pendências”, finalizou o secretário da Saúde, Acélio Casangrande.

A Biblioteca Donatila Borba e o Arquivo Histórico Pedro Milanez, localizados em anexo ao Centro Cultural Santos Guglielmi, seguem em funcionamento de segunda a sexta-feira das 8h às 12h e das 13h às 17h.

Em decorrência da pandemia de coronavírus e seguindo as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), as visitas estão sendo realizadas mediante a agendamento pelo número (48) 3445-7001.

“Para visitas e estudos é necessário o agendamento com data e hora, para evitarmos aglomerações. Respeitamos todas as normas sanitárias e os visitantes conhecem nosso acervo com toda segurança”, conta a coordenadora da biblioteca, Débora Regina Cândido.

A coordenadora afirma que houve uma queda significativa no número de estudantes que visitavam o local, que antes promovia alguns projetos como a contação de histórias. “ Por conta da pandemia os projetos precisaram ser interrompidos, mas estamos estudando formas de seguir com o planejamento de forma segura”, afirma Débora.

Acervo e cadastro para retirada de materiais 

A Biblioteca Municipal Donatila Borba dispõe de um acervo de mais de 24 mil livros em diversas categorias, disponíveis a qualquer cidadão com identidade e comprovante de residência em mãos. Assim como a Biblioteca, as visitas ao Arquivo Histórico acontecem somente mediante a agendamentos por telefone e sem a possibilidade de empréstimos de documentos, jornais e afins.

O agendamento de visitas e consulta de materiais também podem ser feitos pelo e-mails: [email protected] e [email protected]