Podemos ler nos relatos femininos que expusemos ao longo deste mês do “outubro rosa” toda destreza e determinação de ótimos exemplos de quem entende bem sobre o tema de hoje. Por ser talvez a maior mazela que a mulher encontra no esporte, mas não se limitando apenas ao sexo feminino.

O assédio pode ter diversas facetas, sejam elas de alcunha psicológica ou moral. Ou as mais hediondas como raciais e sexuais. No campo do esporte isso se agrava pela facilidade de controle das ilusões de quem acredita ter que passar por sacrifícios para chegar onde se deseja.

Temos nos últimos anos visto uma quebra do silêncio em relação a casos de assédio sexual no esporte mundial. Mas esta realidade vai além do esporte, parte da má conduta enraizada principalmente nos homens. Sim , homem.

Por toda cultura patriarcal que se sustenta das mais diversas formas, o sexo masculino é o principal disseminador de tal comportamento, porém não restrito, já que muitas mulheres tem em seu âmago uma orientação patriarcal de aceitação do problema.

Conhecemos no esporte casos de lideres que durante anos praticaram, e alguns casos praticam até hoje assédio aos jovens sobre sua tutela. Temos em muitos Estados casos de pessoas que vivem de roubar e se aproveitar de sonhos alheios, quando não se vêem na oportunidade de chantagear e até se aproveitar sexualmente de alguém.

Pois é, são inúmeros os relatos de quem já viveu situação parecida. Mas a grande questão é como mudar um comportamento em massa. E a resposta é muito simples quando observamos a luta pelas causas femininas podemos ter um diagnóstico de solução.

Falar, expor e educar. Precisamos usar nosso direito de expressão e colocar a boca no trombone quanto à qualquer abuso no esporte. Expor quando comprovado o caráter do indivíduo agressor. Por fim educarmos nós mesmos para que sejamos exemplos para as próximas gerações, no intuito de disseminar a guerra contra o erro.

Por fim uma última questão de assedio bem comum: nos estádios sempre notei que grande parte de qualquer torcida parece ter mais ímpeto a agressões verbais contra seus adversários do que palavras de incentivo pelo escudo que defendem. Desde muito pequeno me chamou a atenção, como o ódio pelo desconhecido assediado é culturalmente maior do que o amor e incentivo pelo seu próprio clube. Podemos sim mudar o mundo quando não se tem medo de quebrar tabus.

Estar completamente comprometido com o que se esta fazendo aqui e agora para assim causar o impacto que resultaria na diferença. Na semana em que soubemos da morte de Jeremy Wisten, ex-jogador da base do Manchester City , que tirou a própria vida ao não conseguir lidar com a frustração de sua dispensa.

Sofreu com depressão até onde suportou. E a reflexão que deixo é a seguinte: alguém poderia ter feito algo para que isso não acontecesse? negligenciamos nossas crianças e mulheres ao pensar que estão livres de tal situação. Exponha, converse e eduque.

“O que me preocupa não é o grito dos maus, mas o silêncio dos bons”.

                                                                     Martin Luther king

Cryz Fagundes

Um sonho de ajudar o próximo que era nutrido há cerca de seis anos se concretizou há cerca de oito meses, a frente do projeto a voluntária Losinete Fontana, 50 anos teve um papel importante na efetivação da Farmácia solidária do bairro Pinheirinho, que hoje atende centenas de criciumenses que buscam medicamentos para manter seus tratamentos médicos. 

O estoque de medicamentos é formado por doações de pessoas que perderam seus familiares e amostras grátis cedidas por médicos, basicamente. Hoje a farmácia conta com o cadastro de 290 pessoas que necessitam de remédios e possuem o receituário médico para uso dos mesmos. 

Para realizar o cadastro basta ser residente em Criciúma e apresentar a documentação pessoal: RG e CPF, o atendimento acontece nas segundas, quartas e sextas-feiras, das 13h às 17h. 

blank

O cadastro e entrega da medicação é feito pelo jovem Luiz Felippe, de 18 anos e estudante do 2º ano do Ensino Médio. “É gratificante ligar para as pessoas e avisar que o medicamento que ela tanto aguarda chegou, quando seu tratamento estava interrompido, por falta dos mesmos”, declara o jovem, que sonha seguir nesta área, como farmacêutico ou nutricionista. 

Quem também desempenha um papel muito importante neste projeto é a professora aposentada Minervina Luciana Pezzi, 63 anos, que contribui na arrecadação e coleta de medicamentos doados pela comunidade.

Para se manter a farmácia conta com a colaboração de empresários que respondem pelo pagamento do aluguel, e demais despesas do local, sem um sistema para controle do estoque, os cadernos são a solução. Para melhorar o atendimento, seria necessária a aquisição de mais dois computadores com um sistema para controle das entradas e saídas de medicamentos, uma impressora, um veículo para entrega em bairros mais afastados (carro ou moto).

Como não há nenhum tipo de cobrança as doações são fundamentais para a manutenção dos serviços no local, que conta com apoio de voluntários, inclusive uma farmacêutica responsável. 

Após se consolidar a ideia dos organizadores da entidade é expandir e abrir mais filiais nos maiores bairros do município. 

Para mais informações basta entrar em contato pelo (48)3437-3854 ou (48)99901-1312 (WhatsApp). 

Os mesários de 23 estados nas eleições municipais de novembro receberão o auxílio-alimentação por meio do smartphone. O benefício será pago por meio do aplicativo Carteira bB, carteira digital fornecida pelo Banco do Brasil.blankblank

O pagamento por meio digital resulta da parceria entre o Banco do Brasil e os Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) dos seguintes estados: Acre, Alagoas, Amapá, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

Caberá a cada TRE definir o valor e a data de pagamento do auxílio-alimentação. As condições de recebimento podem ser verificadas no site da Justiça Eleitoral de cada estado.

Para receber o auxílio-alimentação, os mesários deverão instalar o aplicativo, disponível nos sistemas operacionais Android e iOS, e cadastrar-se na Carteira bB. Cada TRE encaminhará aos mesários um código que será usado para resgatar o benefício na data indicada. O saldo disponível aparecerá na tela inicial do aplicativo.

As eleições municipais ocorrerão em 15 de novembro, com o segundo turno em 29 do mesmo mês. Ao todo, serão preenchidos 67,8 mil cargos públicos eletivos de prefeitos e vereadores.

Lançamento

Lançada em março, a Carteira bB tem cerca de 1 milhão de clientes em todo o país. O aplicativo permite pagamentos por meio de Código QR (versão avançada do código de barras) em máquinas da bandeira Cielo. Também é possível fazer saques nos caixas eletrônicos do Banco do Brasil, recarregar celular, fazer transferências para qualquer conta bancária convencional e efetuar pagamentos com cartão virtual, usados em compras online, aplicativos de transporte e serviços de entrega.

Segundo o Banco do Brasil, o funcionamento simplificado do aplicativo atende às necessidades imediatas de serviços como os usados pelos mesários.

A Petrobras divulgou ontem novos reajustes para o preço dos combustíveis nas refinarias. O preço da gasolina terá queda de 5%, enquanto para o diesel (S10 e S500), a redução será de 4%. Os novos valores passam a vigorar a partir de hoje.blankblank

De acordo com a assessoria de imprensa da companhia, com a redução de 4,0% (ou R$ -0,07 por litro), o preço médio do diesel da Petrobras para as distribuidoras passa a ser de R$ 1,69 por litro. No acumulado do ano, a redução do preço é de 27,3 %.

Já para a gasolina, com a redução de 5% (ou R$ -0,09 por litro), o preço médio da Petrobras para as distribuidoras passa a ser R$ 1,66 por litro. No acumulado do ano, a redução chega a 13,7 %.

A gasolina teve 35 reajustes em 2020, até agora, sendo 16 aumentos e 19 reduções. Para o diesel, foram 28 reajustes no total, dos quais 13 foram aumentos e 15 diminuições de preços.

Uma parceria entre o Instituto de Análises Forenses (IAF) e o Instituto Médico Legal do Instituto Geral de Perícias de Santa Catarina (IGP) desenvolveu uma ferramenta que irá auxiliar na elucidação de casos de pessoas desaparecidas.

Trata-se do programa “Conecta – Perícia Conectando Famílias”, que tem como objetivo a captação de familiares de pessoas desaparecidas para coleta de material biológico e inserção dos seus perfis genéticos no Banco Estadual de Perfis Genéticos de Santa Catarina (BPG/SC), em paralelo à criação de um banco unificado contendo os dados biométricos, antropológicos e odontolegais dos desaparecidos.

Genética Forense

Com o propósito de manter e comparar perfis genéticos para auxiliar na identificação de pessoas desaparecidas, o Setor de Genética Forense do IGP/SC é membro da Rede Integrada de Bancos de Perfis Genéticos (RIBPG).

Os perfis genéticos gerados e inseridos pelos laboratórios integrados à RIBPG, são enviados rotineiramente ao Banco Nacional de Perfis Genéticos e regularmente confrontados, em busca de coincidências que permitam identificar cadáveres, restos mortais não-identificados e pessoas vivas sem identificação, constituindo assim, uma valiosa ferramenta na elucidação de desaparecimentos.

Antropologia Forense

Além da inserção de perfis no BPG/SC, outra iniciativa do programa será desenvolvida pelo recém-inaugurado Setor de Antropologia Forense do IGP/SC, através da captação e registro dos metadados (dados sobre dados) dos desaparecidos, em paralelo à criação de um banco contendo as mesmas informações referentes aos cadáveres e restos mortais não identificados recebidos pelo Instituto Médico Legal (IML).

Junto aos familiares de desaparecidos, a coleta técnica de dados solicitará informações como documentos, exames por imagem, prontuários odontológicos, fotografias de sorriso, aparelhos ortodônticos, prontuários hospitalares, etc.

Grupo de Apoio aos Familiares de Pessoas Desaparecidas

O IGP/SC conta com toda a estrutura técnica e insumos necessários para as coletas e análises envolvidas, mas, para o contato e captação das famílias, foi necessário o apoio de programas já bem estruturados e amplamente divulgados como o Grupo de Apoio aos Familiares de Pessoas Desaparecidas (GAFAD).

Na última semana, como primeira medida do programa, foi realizada reunião com o GAFAD, o qual prontamente se comprometeu com a sensibilização dos familiares, após ampla explanação sobre o funcionamento do BPG/SC e os detalhes do projeto.

Na reunião, foi proposta, em conjunto, a realização de um dia “D” para a coleta das amostras dos familiares, com data ainda a ser confirmada.

Quem quiser mais informações sobre o programa pode enviar e-mail para [email protected]